Como criar produtos inovadores e desejados Deixe um comentário

Você já teve uma grande ideia e ficou em dúvida se alguém mais já pensou nisso antes?

Confira neste artigo algumas dicas valiosas para colocar suas ideias em prática e criar produtos inovadores!

Como ter uma grande ideia?

As grandes ideias geralmente são aquelas que solucionam antigos problemas, não é mesmo?

Mas para isso, o primeiro passo é identificar o problema. Isso mesmo, não basta criar algo inovador, a invenção precisa ser útil e desejada pelas pessoas.

Como é possível identificar um problema?

Parece simples, mas não é. Você já notou que muitas vezes, as pessoas não percebem que tem um problema?

Um exemplo prático é a invenção do escorredor de arroz. A inventora do objeto é uma brasileira, Therezinha Zorowich.

Antes da invenção da Dona Therezinha, ninguém tinha percebido como era difícil lavar o escorrer o excesso de água do arroz em vasilhames que não tinham aqueles furinhos.

Apesar de ter sido inventado na década de 50, esse utensílio tão simples, ainda está presente em milhares de cozinhas.

Como as ferramentas tecnológicas atuais auxiliam na identificação de soluções

Quando você cria algo, tenha em mente que alguém no mundo pode já ter criado e patenteado a mesma coisa antes.

Antigamente, ao identificar um problema, a solução era baseada em tentativas e erros.

Este processo era árduo e não havia como saber se alguém já tinha inventado algo semelhante.

Atualmente, existem ferramentas tecnológicas que auxiliam na pesquisa sobre como o problema já está sendo resolvido no mundo.

A primeira coisa a ser feita para saber se algo já foi criado em algum lugar do planeta, é fazer uma busca de anterioridade em bancos de dados de patentes.

É importante lembrar também, que é possível trazer para o Brasil, uma invenção criada no exterior, desde que ela não esteja patenteada no país.

O que é prospecção tecnológica?

A prospecção tecnológica, é uma forma de investigação de tecnologias. Pode ser feita através de bancos de dados de patentes no mundo todo, visando mapear o que já existe em determinado nicho de mercado, o que permite uma visão ampla e auxilia na definição de estratégias.

Em outras palavras, a prospecção tecnológica, permite o acesso a determinados dados específicos, para que possam ser usados comercialmente.

Geralmente, quem utiliza essa investigação prévia, são grandes players, mas qualquer pessoa pode ter acesso a essas informações desde que bem orientado por um profissional.

Outra finalidade dessa prospecção é identificar se já existe ou não, alguma solução para o problema, e ainda quais tecnologias são mais adequadas para determinado segmento.

A vantagem de obter essas informações, é a tomada de decisões assertivas e concretamente embasadas, além do acesso a dados que auxiliam nas negociações.

No entanto, esse processo de mapeamento é comumente invertido no Brasil, ou seja, somente após investir tempo e recursos em determinado invento, o empreendedor realiza uma investigação mais minuciosa.

Muitos empreendedores baseiam-se apenas numa pesquisa no Google, mas esse motor de busca não é efetivo neste caso, sendo necessário acesso a bancos de dados específicos.

É preciso ter em mente que a ordem correta dos fatores é, primeiro fazer a busca em patentes e depois prosseguir com investimentos ou criação de novos negócios, e é assim que funciona na maioria dos países.

Além disso, as buscas específicas oferecem uma gama de informações estratégicas sobre determinada patente.

Essas informações podem ser usadas para fins comerciais, para estabelecer parcerias na produção, para buscar fornecedores etc.

Vantagens de depositar uma patente

A principal vantagem do deposito da patente é garantir o uso exclusivo, como forma de recompensar o inventor.

O prazo da patente de invenção é de 20 (vinte) anos e a patente de modelo de utilidade 15 (quinze) anos contados da data de depósito. O depósito da patente é um investimento, pois além de resguardar o uso, ainda pode gerar lucro.

Conforme informações da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI), em 2018 a China depositou mais de 1,5 milhão de patentes, já o Brasil, depositou apenas cerca de 24 mil.

Comparando a quantidade de patentes depositadas em 2018 no Brasil e na China, é possível perceber o quanto essa cultura ainda é tímida em nosso país.

Você sabia que Startups que detém a patente do produto ou processo aumentam o seu valor de mercado?

Isso ocorre pois quem possui a patente, tem o direito de exclusividade, e isso faz com que a empresa seja reconhecida no mercado.

Além disso, quando a Startup precisar captar recursos ou investimentos, a patente ajudará no ganho de credibilidade perante o investidor.

Você gostaria de consultar um especialista sobre esse tema sem compromisso? Entre em contato conosco. Acesse o site: https://www.lummiepi.com/

Sobre as autoras:

Samaira Siqueira, é advogada e doutoranda em propriedade intelectual, iniciou sua carreira atuando com inovação tecnológica e como estagiária em agências e escritórios de renome nas áreas de inovação e propriedade intelectual. Atuou ainda em órgão público na área de transferência de tecnologia. Mestra na área, agora cursa o doutorado profissional. Já ajudou dezenas de empreendedores em questões envolvendo propriedade intelectual. Atualmente sócia da Lummiê PI.

Gabriela B. Maluf é CEO & Founder da Thebesttype, escritora, advogada com 15 anos de experiência, especialista em Compliance Trabalhista, Relações Trabalhistas, Sindicais e Governamentais, Direito Público e Previdenciário, articulista, palestrante com mais de 200 eventos realizados e produtora de conteúdo técnico otimizado em SEO. Atualmente ajuda empresas e profissionais a produzirem conteúdo relevante para seus negócios.

Sua empresa precisa de conteúdo? Acesse o site: http://thebesttype.com.br/ ou LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/gabriela-de-britto-maluf-4b059519/.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carrinho de Compras

close