Como construir uma marca forte para o seu negócio? Deixe um comentário

Nesta matéria fomos atrás de uma parceria de peso. Trouxemos a UaiWeb com a finalidade de dar uma visão geral sobre os caminhos para se criar uma marca forte.

Fique conosco e aproveite a leitura.

Ao dar início a um novo negócio, a maioria dos empreendedores começam a construção do mesmo através do desenvolvimento do produto e refletindo no montante financeiro que ele vai movimentar no mercado. Fazem-se planos de negócio, calcula-se taxas, busca-se fornecedores, pensa no nome da empresa, registra-se a firma no órgão responsável na sua cidade e com CNPJ em mãos, é hora de iniciar as suas atividades.

O que a maioria dos empresários não entende é que o seu produto não é a única coisa que importa para o sucesso de um novo negócio ou mesmo um negócio já existente. Ter uma marca sólida e confiante é fundamental. Uma marca forte precisa levar ao seu cliente os seus diferenciais de mercado, transmitir com autoridade a promessa da empresa e dos produtos/serviços.

Fatores como esses, possibilitam atrair, reter, fidelizar clientes e realizar vendas, inclusive com valores mais altos. As pessoas gostam de marcas que causam desejo, que possuem uma mensagem, pois isso gera valor, mesmo que intrínseco e faz com que a pessoa que consome no seu negócio se destaque frente aos outros.

Frente a esta concepção da necessidade de uma marca forte, criou-se um mito de que apenas grandes corporações conseguem desenvolver uma identidade reconhecida. Esta ideia de que são necessários investimentos milionários é completamente infundada. Toda empresa consegue desenvolver ações que podem mudar a percepção que os clientes nutrem sobre o seu negócio.

Se você é um empreendedor que já possui um negócio no mercado ou está a desenvolver a sua ideia para lançar-se, fique conosco que iremos trazer algumas estratégias para dar musculatura para a sua marca e levá-la mais longe.

Defina uma estratégia, posicione-se.

Antes mesmo de colocar o seu produto no mercado é importante saber como você quer que ele seja reconhecido. Os valores, visões de futuro e crenças definem como ele é percebido pelo seu público. Você tem 2 caminhos a seguir para posicionar o seu produto: posicionar-se como a empresa que pratica o menor preço ou a que vende uma experiência.

Posicionar-se pelo preço é uma estratégia arriscada, pois o cliente que compra de você pelo custo, desiste de você pelo preço do seu concorrente. Já se você quer se portar como uma empresa que entrega uma experiência diferente é necessário muito mais do que dividir o pagamento em 12x ou frete grátis. É preciso demonstrar obrigatoriamente ética e confiança, e a partir disso, construir o seu caminho.

Todos compramos o porquê

Os seus clientes não compram o que você faz, mas sim o porquê você faz. Steve Jobs é um dos maiores entusiastas desta estratégia, ele compreendeu que todos compramos a experiência que o produto oferece, adquirimos o status que desfrutamos ao usar o produto ou consumir a experiência.

Uma prova desta estratégia são os produtos desenvolvidos pela Apple. Mesmo que você nunca tenha usado um dos produtos da empresa você sabe que havendo a possibilidade você não hesitaria em adquirir um dos produtos, seja um iPhone, um iPad ou qualquer outro dispositivo. Isso por que todos compreendemos o status que empresta um iPhone ao seu usuário. Mesmo sem conhecer, sabemos que o sentimento positivo é uma consequência do consumo destes produtos. Isso faz parte da filosofia por trás da marca Apple: o porquê.

Escolha um nome fácil

Ao criar um nome para uma empresa normalmente iniciamos o levantamento das possibilidades pelo sobrenome, siglas do seu nome, ou dos sócios, mas isso é muito parcial. É necessário que você parta do pressuposto que o ponto-chave do seu negócio é o seu cliente e não você.

Busque criar nomes de fácil pronúncia, escrita e sonoridade agradável. Tente também ter um nome que transmita a essência do seu negócio ou produto de forma globalizada, que seja fácil de escrever, pois o seu cliente precisa te encontrar.

Vale ressaltar que nomes fáceis não quer dizer nomes comuns, ao usar um nome comum a chance de já existir outros negócios com o mesmo nome é alta. Simplicidade neste sentido trata-se basicamente da escrita, é difícil alguém achar uma marca chamada Phynnanceira ABC.

Desenhe a sua marca

O seu “logo” será a representação gráfica do seu negócio. Procure ser simples ao invés de criar uma obra de arte. Invista numa empresa para auxiliá-lo para que sejam escolhidas cores, uma tipografia e formas que estejam alinhadas com o seu público ou segmento. Uma marca com personalidade tende a trazer uma relação mais próxima e humana com o seu público e se você faz escolhas erradas na criação da sua marca, usa elementos que transpareçam algo complexo e muito desorganizado o seu cliente acabará percebendo, mesmo que inconscientemente, essa negatividade.

Registrar sua marca

A marca registrada garante ao proprietário o direito de uso exclusivo na classe escolhida, em todo o território nacional.

Apesar dos custos envolvidos, o empreendedor deve entender que o registro de marca é um investimento, e não uma despesa, pois se você não registra, não garante sua exclusividade. Além disso, quando a marca é bem gerida, acaba revertendo em lucros constantes, pois é o principal elo entre o negócio e o cliente.

Leva-se um bom tempo para uma marca construir sua imagem perante seu público consumidor. Além de todo o investimento realizado para construir um nome, que está ligado à sua história e reputação, existe também o seu valor de mercado, que está diretamente atrelado a essa marca.

A marca é dos mais importantes patrimônios de uma empresa. Por meio da marca, um negócio é identificado e diferenciado. Com o tempo, a marca passa a ser entendida como o referencial da qualidade daquele produto ou serviço.

O sucesso da sua empresa está intimamente ligado ao seu reconhecimento. Para que isso aconteça é importante que sua MARCA seja de uso exclusivo, para que se destaque e se diferencie dos demais concorrentes.

Mas afinal, o que é marca?

Marca é todo sinal distintivo (palavra, figura e símbolo) visualmente perceptível que identifica e distingue produtos e serviços em relação a outros iguais ou semelhantes, qualquer que sejam suas origens.

A conformidade dos produtos e serviços com normas ou especificações técnicas são determinadas pela Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996, que regula a concessão e o regime de marcas no território nacional. A autarquia federal responsável pelo registro é o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Natureza da marca

Quanto ao domicílio do proprietário:
Brasileira: aquela regularmente depositada no Brasil por pessoa domiciliada no país.

Estrangeira: aquela regularmente depositada no Brasil, mas por pessoa não domiciliada no país. Também pode ser aquela que, mesmo depositada regularmente em país vinculado a acordo ou tratado do qual o Brasil seja partícipe ou em organização internacional da qual o país faça parte, seja depositada no território nacional no prazo estipulado no respectivo acordo ou tratado, e cujo depósito contenha reivindicação de prioridade em relação à data do primeiro pedido.

Quanto ao uso:

De produtos ou serviços: aquela usada para distinguir um produto de outros idênticos, semelhantes ou afins, de origens diversas;

Coletiva: aquela usada para identificar produto ou serviço provindo de membros de uma determinada entidade;

De certificação: aquela que se destina a atestar a conformidade de um produto ou um serviço com determinadas normas ou especificações técnicas, notadamente quanto à qualidade, à natureza, ao material utilizado e à metodologia empregada.

Apresentação da Marca

Nominativa: é constituída por uma ou mais palavras, no sentido amplo do alfabeto romano, compreendendo também os neologismos e as combinações de letras ou algarismos romanos e/ou arábicos;

Figurativa: é constituída por desenho, imagem, figura ou qualquer forma estilizada de letra e de número, isoladamente, bem como por ideogramas de línguas, tais como japonês, chinês e hebraico. Nessa última hipótese, a proteção legal recai sobre o ideograma em si, e não sobre a palavra ou o termo que ele representa, salvo se for uma marca de apresentação mista;

Mista: é constituída pela combinação de elementos nominativos e de elementos figurativos, ou de elementos nominativos cuja grafia apresente-se de forma estilizada;

Tridimensional: é constituída pela forma plástica (entende-se por forma plástica a configuração ou a conformação física) de produto ou de embalagem. Essa forma deve ter capacidade distintiva em si mesma e estar dissociada de qualquer efeito técnico.

Graus de distintividade

O caráter distintivo de um sinal está vinculado à sua maior ou menor capacidade inerente de funcionar como marca. Trata-se de uma escala, dependente do produto ou serviço assinalado, que varia da ausência total de cunho distintivo aos graus mais elevados de distintividade.

Quanto ao seu grau de distintividade, os sinais podem ser classificados em:

Não distintivos

Enquadram-se neste grau os sinais formados por termos, expressões ou imagens que identificam o próprio produto ou serviço ou que são utilizados, no mercado, para descrever suas características. Também são considerados sinais não distintivos aqueles que, pela sua própria constituição, não são capazes de serem percebidos como marca pelo público-alvo.

Sugestivos/evocativos

Sinais formados por elementos nominativos ou figurativos que sugerem ou aludem a características dos produtos ou serviços sem, entretanto, os descreverem diretamente. Embora guardem alguma proximidade conceitual com elementos descritivos, não possuem relação imediata com os produtos ou serviços que visam assinalar, sendo, portanto, passíveis de registro.

Arbitrários

É considerado arbitrário o sinal cujo significado não possui relação conceitual com os produtos ou serviços que visa assinalar.

Fantasiosos

São os sinais formados sem qualquer significado intrínseco, ou seja, não retirados do vernáculo.

Quer saber se sua marca está apta para ser registrada e quer definir a melhor estratégia de proteção para ter uma marca forte e devidamente protegida? A Lummiê está à disposição para auxiliá-lo nesse processo. Clique aqui e saiba mais.

#marca #registresuamarca #protejasuamarca #marcas #registrodemarca #propriedadeintelectual #lummiepi #parceria #trademarks #intellectualproperty

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carrinho de Compras

close